Buscar

Seguindo em frente

Recuperação dos planos continua em curso. Rentabilidade do Plano 1 em julho foi de 4,26% e do Previ Futuro de 3,97%

Mesmo em uma crise sem precedentes, a Previ continua firme.

Em julho o Plano 1 teve uma recuperação de R$ 5,81 bilhões, com uma rentabilidade de 4,26%.

O déficit acumulado está em R$ 4,85 bilhões, uma recuperação de R$ 18,75 bilhões desde o auge da crise, no mês de março.

A rentabilidade do Previ Futuro em julho também foi positiva e fechou o mês em 3,97%.

O desempenho acumulado do plano é negativo em 0,89%, uma melhora de 11,25%.

A recuperação está seguindo seu curso, mas ainda é necessário ter cautela.

A tendência é que nos próximos meses a valorização dos ativos seja mais lenta, alinhada à do mercado financeiro, que ainda sofre com instabilidades derivadas da pandemia de Covid-19.


Confira os números detalhados de cada plano clicando nos links abaixo:






O destaque de desempenho no mês de julho foi o segmento de renda variável, que teve uma rentabilidade de 7,79% no Plano 1 e 8,48% no Previ Futuro.

Vale lembrar que, mesmo no pior momento da crise, os investimentos da Previ desvalorizaram menos do que os do mercado – um efeito da qualidade dos ativos e da diversificação da carteira. 


Resiliência tem sido a palavra-chave para definir a Previ desde o início da crise.

Em uma conjuntura desafiadora como a atual, a estratégia de ter investimentos robustos, gestão de liquidez efetiva e visão apurada de longo prazo se provou mais acertada do que nunca.

A missão da Previ é pagar benefícios a todos nós, associados, de forma eficiente, segura e sustentável.

A Entidade precisa acumular e gerir recursos, com a finalidade de pagar aposentadorias e pensões no futuro.

Por isso, é tão importante que em um momento de crise os investimentos não sejam vendidos por um valor depreciado. 

Durante o processo de recuperação, ter uma carteira sólida proporciona confiança para seguir com este movimento e esperar até os valores voltarem à normalidade, sem vender na baixa e ter prejuízo.


Já a gestão de liquidez traz a tranquilidade necessária para fazer isso, já que o fluxo de pagamentos não foi comprometido em nenhum momento.

Ou seja: nenhum associado correu o risco de ficar sem seu benefício.

“Vai passar” se tornou um lema no início dessa crise.

Passados quase seis meses, os números comprovam que essa afirmação foi verdadeira. Ainda é.

Vai passar.

E quando passar, continuaremos aqui, prontos para cumprir a nossa missão de pagar benefícios, como fizemos nos últimos 116 anos. 


fonte: www.previ.com.br

Trabalhando em prol dos
Aposentados e Pensionistas
do Banco do Brasil
no Estado do Paraná.

Rua Voluntários da Pátria, 475

Edifício ASA - 5º Andar - cj 501

 Centro - Curitiba - PR - 80020-000

MTP_Logo 2020_quadrada.png
(41) 3223.4907